Ford Sierra

1982-1993 de lançamento

Reparo e operação do carro



Ford Siyerra
+1.2. Identificação do carro
+ 2. Manutenção
- 3. Dados gerais
   -3.1. Carros com motores de gasolina
      3.1.1. Missas e números de transferência
      3.1.2. Líquidos operacionais
      +3.1.3. As modificações em um carro projetam desde 1984 para 1986.
      -3.1.4. As modificações em um carro projetam desde 1987 para 1989.
         3.1.4.1. Motor de OHC
         +3.1.4.2. Motor de Dm3 CVH 1,8
         +3.1.4.3. Motor de DOHC
         -3.1.4.4. Serviço e reparo
            3.1.4.4.1. Sistema de ignição
            3.1.4.4.2. Sistema de injeção
            3.1.4.4.3. Esquema do EES IV sistema do motor de DOHC 2,0 de dm3
            3.1.4.4.4. Cheque e ajuste da CEE IV sistema
            3.1.4.4.5. Eliminação de maus funcionamentos
            3.1.4.4.6. Cheque de elementos da CEE IV sistema
            3.1.4.4.7. Sistema de distribuição de gás
            3.1.4.4.8. Cabeça do bloco de cilindros do motor
            3.1.4.4.9. Desmontagem do motor
            3.1.4.4.10. Reunião do motor
            3.1.4.4.11. Sistema de lubrificação
         +3.1.4.5. União
         3.1.4.6. Transmissão de cinco velocidades mecânica de tipo de N
         +3.1.4.7. TA mecânica 75 transmissão de cinco velocidades
         3.1.4.8. Câmbio automático
         3.1.4.9. Expeça o suporte de forma triangular de interrupção
         +3.1.4.10. Sistema de freios
         +3.1.4.11. Equipamento elétrico
         3.1.4.12. Dados gerais
      +3.1.5. As modificações em um carro projetam desde 1990 até fevereiro de 1993.
   +3.2. Carros com motores diesel
+4. Motores
+5. União
+6. Transmissões
+7. Eixo motor e ponte traseira
+8. Direção
+9. Suportes de forma triangular de interrupção
+10. Sistema de freios
+11. Corpo
+12. Equipamento elétrico


331b1c3e

3.1.4.4.2. Sistema de injeção

INFORMAÇÃO GERAL

Elementos de sistema de injeção Ford Motorcraft EFI do motor DOHC

1 – coletor de entrada,
2 – caso de uma válvula de borboleta,
3 – o oleoduto de provisão aéreo ao regulador que perde tempo,
4 – o sensor da temperatura de esfriar o líquido,
5 – o sensor de temperatura do ar que chega,
6 – regulador de pressão de combustível,
7 – sensor de temperatura de combustível,
8 – coletor de bocais,
9 – colocação de bocais,
10 – bocais de combustível,
11 – regulador que perde tempo,
12 – abafador de flutuações de ar,
13 – cobertura do filtro de ar,
14 – o elemento substituído do filtro de ar,
15 – caso do filtro de ar.

Desenho e princípio de ação

No sistema de pontos múltiplos eletrônico da injeção Ford Motorcraft EFI o combustível dado abaixo da pequena pressão constante vai a quatro bocais que o injetam na entrada a válvula. O montante do combustível borrifado regula-se pelo tempo da abertura de bocais determinados pela CEE IV unidade de controle eletrônico com base na velocidade do motor e tamanho naturalmente do ar consumido pelo motor.

A bomba de combustível elétrica embarcada em um tanque força constantemente o combustível pelo oleoduto ao filtro de combustível, o regulador da pressão (6), um coletor de bocais (8) e bocais (10). O regulador da pressão apoia a pressão constante desta depressão em um coletor de entrada.

O montante do combustível dado a cada cilindro regula-se pelo tempo da abertura de um bocal que cai em cada ciclo da operação do cilindro.

A CEE eletrônica IV dispositivo de acionamento define esta vez com base nos seguintes sinais:

  – o sensor (de 5) de temperatura do ar que chega;
  – o sensor da velocidade do motor localiza-se no distribuidor de ignição;
  – sensor (4) líquidos esfriam;
  – o sensor de provisão da válvula de borboleta localizada em um caso de uma válvula de borboleta (2);
  – o sensor de posição da alavanca de deslocamento de engrenagem do câmbio automático (em carros com o câmbio automático);
  – o sensor de ligação do compressor do condicionador (em carros com condicionamento).

Com base nestes sinais a CEE eletrônica IV dispositivo de acionamento fornece a composição da mistura de combustível, condição favorável destas condições operacionais do motor e ar.

Além dele faz funcionar a válvula do regulador (de 11) de perder tempo que corrige a velocidade que perde tempo por meio da provisão de ar adicional via o oleoduto (3). No decorrer do lançamento do motor a válvula do regulador de perder tempo está aberta tanto quanto possível.

Em tempo sem cargas as suas modificações iniciais dependendo de exigência, guardando a velocidade constante do motor.